quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Dormindo na rua IV

Tentei ligar de volta no telefone que ele deixou na caixa postal, mas ninguém atendia. Mais tarde ele me liga:
- Olá, sou o dono da casa! ( O interessante aqui é que eles não falam, dono da casa e sim dono da "unidade" (unit) que você está morando...)
- Foi você que comprou a casa?
- Não a casa é minha, a casa está alugada para a senhora que está lá...
Ufa! Menos mal, na verdade ele é quem está vendendo a casa!

...estou te ligando para te pedir as chaves da casa pois eu não consigo achar a copia que tinha. Preciso da copia para que possamos ter acesso ao novos compradores.
- Por mim tudo bem...

E assim foi. Ele passou lá tirou uma cópia. E foi quando eu vi que meu medo de dormir na rua era apenas alarme falso! Ele me disse que se a casa fosse vendida muito rápido, não seria em menos de um mês a partir daquela data o que seria tempo mais que suficiente pra mim pois meu visto tem menos que isso de vida! Preço: $500 mil doletas! Ele perguntou se eu tinha interesse em comprar!! Sem comentários...

Já recebi umas 3 ou 4 visitas! Quando digo recebi quero dizer que estiveram lá. Pois eu nunca estou quando estão mostrando a casa. A dona que está responsável por vender me liga avisando quando vai e eu dou um jeito de não estar lá quando isso acontece! Não que ela tenha pedido, eu que prefiro assim.

Se te chamou atenção a parte do "...meu visto tem menos que isso de vida!" deve estar se perguntando quando eu volto... cenas dos próximos capítulos! :)

Fotos: Algumas fotos tiradas pelo bairro (Bicton) que to ficando

ps: Se alguém tava tentando ver as fotos pelo link que está a direita da página (fotos da viagem) sinto informar que não estava funcionando direito. Espero que agora esteja tudo certo! :)

2 comentários:

Narcélio Filho disse...

Se fosse aqui no Brasil eu ia achar que era golpe. A "dona" da casa viaja e alguém aparece pedindo cópia da chave?

Leandro disse...

eu faria o mesmo e só depois de ligar para a senhorinha, entregaria a cópia da chave..
Seria tão estranho para eles você confirmar como estranho é pra nós não precisar confirmar.